segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Colaborações 2: Poema e Projeto Gráfico de Othon d´Eça Neves.

Não escreverei muito aqui pois comecei a conhecer a obra deste poeta a pouco tempo. No entanto, convido a todos a conhecerem junto comigo. Ele escreve em seu blog: http://kindertraum.blogspot.com/
O poema abaixo, junto ao desenho, é uma brincadeira com os números:


DO DESENHO DOS NUMEROS


O oito é o número mais inviolável que existe,
porque é uma trança.
O zero é um anel, mas parece mistério que união ele sela.
A diferença entre o oito e o zero é que o zero rompeu o laço.
O zero é um caminho circular.
O oito é um caminho circular repleto de paisagens transversais.
O zero é um buraco, o oito, o cenário de uma rampa infinita.
O zero é livre, o oito não.
O oito vive, o zero é,
ou não.


Um comentário:

romulo de almeida disse...

...que sutilezas de notas...e meio grandiloquentes, é. meio que superprodução... quase o contrário, mas lembrou-me, dos poemas das sutilezas zen...mas aqui com grandes espaços.
...interessante ter me lembrado dos "koans" ( acho que assim se chamam os poemas -zen), dos " kai-kais"...e ter pensado nos espaços...