quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Poemas e Gravuras de Leo Lobos.

Mais uma vez a mistura de linguagens, desta vez gravuras e poemas do artista chileno . É uma honra para nós publicar um artista deste país, vizinho e admirável. Gosto muito de suas imagens, que me lembram Miró, e de seus poemas, límpidos e lapidados. A tradução para o português foi feita por Geruza Zelnys de Almeida.

“No importa como se ponga la pintura,
mientras que algo sea dicho”
Jackson Pollock

Viveram lendo
Escrevendo
Rezando
Muito além do monólogo interior
Mais além da morte


Temor

“La mejor parte es sentirse vivo pintando y la peor
es necesitar hacer pinturas para sentirse vivo”
Geoffrey Lawrence


Reverência emocionada
quando tudo
deixa
de
importar
quando tudo está escuro
quando tudo está perdido

Que a musa te toque com seus
dedos as costas
e te empurre ao caminho

Que a frieza das cidades
que a rosa do nada
que a lama imóvel
que a areia movediça do deserto
não apaguem a tristeza da tinta
que há de alcançar a água

E seja ar movido por lábios
uma
vez
mais


Três mulheres, um piano, um gato e uma tormenta

A Alexandra Keim

É difícil ser um pássaro
e voar contra a tormenta
melhor é como um gato estar
sempre atento às brasas
cerca da chaminé
e escutar
sempre atento escutar
três línguas diferentes falarem
um idioma fascinante
misterioso e conhecido
ouvir e ir em sua música
em suas luzes e próprias
e universais sombras
fotografar
por um só segundo
fotografar com os olhos seus perfis
de ser possível
flutuar
dentro
da sala
como
um pássaro
na
tormenta


Leo Lobos (Santiago do Chile, 1966): poeta, ensaísta, tradutor e artista visual. Laureado UNESCO-Aschberg de Literatura 2002, realiza uma residência criativa em CAMAC, Centre d´Art Marnay Art Center em Marnay-sur-Seine, França. Publicou entre outros: “Cartas de más abajo” (1992), “+Poesía” (1995), “Ángeles eléctricos” (1997), “Camino a Copa de Oro” (1998), “perdidos en La Habana y otros poemas” (1999), “Turbosílabas. Poesía Reunida 1986-2003” (2003), “Un sin Nombre” (2005), “Nieve” (2006), “Vía Regia” (2007). Escreve para vários jornais, revistas e sites e tem lido seus textos de arte e literatura no Chile, Argentina, Perú, Bolivia, Brasil, México, Cuba, Estados Unidos, Espanha, França e Alemanha.

e mail: tallerleolobos@yahoo.com

www.leolobos.blogspot.com

Tradução ao português:
Geruza Zelnys de Almeida Magíster en Literatura y Crítica Literaria – Pontificia Universidad Católica de São Paulo, Brasil. geruzazelnys@terra.com.br

Felipe Stefani.

3 comentários:

Leo Lobos disse...

mis saludos desde Santiago de Chile

Leo Lobos

Andrea Motta disse...

Leo,
Este espaço eu não conhecia, gostei muito!!
bom final de semana,
beijos
Andréa

Escritora y artista visual disse...

MIs saludos y gracis leo
Milagro